domingo, 26 de fevereiro de 2017

Venetian

Cara ragazza!!

Se para muitos Carnaval é Rio de Janeiro, para mim sempre foi Veneza. Apesar de ser complicado, na maioria das vezes faço por conciliar os dias de férias com os momentos marcantes da cidade, e desta vez foi na muche! Acredito, sinceramente, que o passeio pela cidade será enriquecido pela mística do carnaval, onde não vão faltar segredos por desvendar e palácios venezianos por descobrir. Concordam comigo que há qualquer coisa de eloquente e sedutor por detrás daquelas máscaras e fatos, verdade?!

Veneza fica a 250km de Milão. O trajecto de carro pode durar cerca de 3h ou de comboio 2h30min. Para quem escolhe a opção carro, é importante que tenha em atenção o “problema” de estacionamento quando chegar a Veneza - caríssimo, média de 21€ por dia. Ou seja, a viagem de comboio será sempre a melhor opção (duração+preço). Assim sendo, pretendemos sair de Milano Centrale Railway Station por voltas às 16h15 e contamos chegar a Venezia S. Lucia às 18h40.

A melhor maneira de conhecer Veneza é a pé. Todavia, a cidade oferece uma óptima opção para quem tem pouco tempo. Nada melhor que um passeio de barco para se apropriar da cidade. O bilhete de Vaporetto válido por 12h, com viagens ilimitadas, custa 18€, enquanto que o custo unitário é de 7€. Assim sendo, sugiro que apanhe a Linha 1 do Vaporetto para fazer um passeio panorâmico pela cidade. Ele seguirá por todo o Grande Canal, passando pelas principais atrações da cidade: o Ca'D'Oro, a Ponte Rialto, o Ca'Pesaro, a Academia de Belas Artes, a Salute, a Igreja Santa Maria della Salute e, claro, a Praça de São Marcos. Além de ser um passeio agradável, ainda rende fotos sensacionais. Procure sentar-se nas cadeiras que ficam na proa e divirta-se!

Se for como eu, por esta altura, já deverá estar esfomeada. Assim sendo, que tal enfardar que nem uma louca no Hard Rock Café? Primeiro, porque já é tradição conhecer o Hard Rock da cidade de visita, segundo porque alguém em Portugal está a fazer a coleção das t-shirts HRC à minha pála.



Segunda-feira, 27 de Fevereiro
A dica que pretendo seguir à risca aqui é: perder-me por Veneza! Entrar numa daquelas ruelas sem nunca olhar para trás. Até porque é impossível seguir um mapa ou um trajeto pré-definido, pois não há no mundo uma cidade tão "labiríntica" quanto Veneza. Por isso, de manhã vou seguir o plano abaixo, mas à tarde vou continuar o passeio sem mapa e sem destino.

Igreja Santa Maria della Salute será o primeiro momento a visitar. Acredita-se que esta igreja, de estilo barroco, está posicionada em um pedaço de terra sustentado por um milhão de estacas.


Em seguida, apanhe novamente um Vaporetto na direção da famosa Praça de São Marcos. Consegue imaginar aqueles momentos únicos quando nos damos conta que estamos num lugar familiar, lindo e mágico? Então, essa será a sensação que irá ter quando aqui chegar. Logo na entrada, o primeiro impacto: o belíssimo Palazzo Ducale, a antiga residência do Doge (como eram conhecidos os governantes de Veneza), e também foi ainda sede administrativa da cidade e prisão. É possível visitá-lo por dentro, onde há belíssimas salas. Dizem que o passeio é longo, consumindo uma manhã ou uma tarde, no mínimo.



Num dos lados do canal poderá ainda ver a famosa Ponte dos Suspiros. Ao contrário do que muitos pensam, os suspiros que deram o nome à ponte foram dos presos que ali passavam e suspiravam de pesar, já que esta era uma espécie de prisão de segurança máxima. Muito diferente do motivo romântico que muitos visitantes imaginam.

Ainda na Praça de São Marcos pode-se ver a bela Torre dell’Orologio, um edifício com um relógio no cimo que, além das horas, mostra as fases da lua, o movimentos do sol e os signos do zodíaco. Acima, vemos o leão alado de São Marcos, e no topo, duas estátuas tocam o sino a todas as horas certas. 



Do lado oposto, vemos o famoso Campanário de São Marcos. Felizmente há um elevador que nos leva até lá acima, próximo aos sinos. Este é o ponto mais alto da cidade e oferece uma vista panorâmica, 360º, de Veneza. Imperdível! Uma curiosidade: a Torre do Campanário desmoronou-se uma vez em 1902, então a que vemos hoje é apenas uma réplica da original...




Para não perder o ritmo do passeio sugiro pedir uma pasta para degustar na Praça de São Marcos - We Love Italy Pasta To Go.



Todavia, a grande atração desta praça é a majestosa Basílica de São Marcos. Provavelmente de todas as igrejas que visitará em Itália, esta será, sem dúvida, uma das mais bonitas. Repleta de mosaicos dourados, estilo bizantino, a basílica é belíssima e imperdível. Ao fundo, atrás do altar, está a Pala D’Oro, um painel de ouro ornado com pedras preciosas, espetacular. É necessário comprar bilhete para visitá-la (1€).



Posto isto, é tempo de se perder nas ruas enquanto entra no espírito do verdadeiro Carnaval de Veneza. Com direito a máscara e tudo! Sugestão do passeio: vaguear entre as zonas de San Marco e Canareggio. Durante o paseio labirintinco não deixe de visitar a Ponte Rialto, famosa por estar no centro do Grande Canal e por ter lojas super fashion.


Porém, a visita a Veneza só estará completamente concluída se se aventurar  num passeio romântico de Gôndola. Meia hora de tour custa em média 80€ com a vantagem que nos levará a canais minúsculos entre as casas, que seriam impossíveis de conhecer. de outra forma.





Terça-feira, 28 de Fevereiro
Hoje apenas haverá tempo para um delicioso brunch. Ainda não tenho a certeza da escolha do restaurante, mas o Bar al Parlamento à beira rio, não é mau de todo... 


Afinal aguardam-nos umas quatro horinhas de viagem de comboio até ao aeroporto de Bergamo - Orio Al Serio (BGY) Milão - Itália

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Milano

Cara ragazza!!


Hoje é dia de sentar o rabo no avião e seguir viagem para mais um, aliás dois, destinos completamente novos para mim! Curiosos?! Pois bem, para vos provar que planeio estas escapadinhas tim-tim por tim-tim, resolvi deixar-vos com o meu plano de festas nos próximos dias... De qualquer forma, podem sempre seguir o instagram stories para não perderem pitada da aventura!




Sexta-feira, 24 de Fevereiro
A partida de Lisboa está marcada para o início da noite, logo a chegada a Milão acontecerá tarde e a más horas. Posto isto, duvido que haja muita energia para grande rambóia esta noite. A parte boa é que acordarei logo a ouvir: Buongiorno ragazza!! 

Sábado, 25 de Fevereiro
Milão continua a ser uma das cidades italianas mais negligenciadas pelos viajantes. Apesar das poucas atrações turísticas, todas elas são bastante belas e imponentes, fazendo com que a capital mereça um olhar mais atento por quem a visita. Milão é conhecida por ser a capital da moda e ainda a sede de duas importantes equipas do futebol mundial. Possui uma das maiores e mais lindas catedrais góticas, um dos teatros mais famosos do mundo e ainda alberga um dos painéis mais conhecidos de Leonardo da Vinci. 

O Duomo de Milão é, sem dúvida, uma das igrejas góticas mais bonitas da Europa. Levou cerca de 500 anos para ficar concluída e, reza a lenda, que quando ficou finalmente tiveram-se que se iniciar obras de restauro... A catedral possui 135 agulhas e 3 200 estátuas na sua fachada. No topo da torre mais alta está a Madonnina: a estátua da virgem protetora da cidade, toda banhada a ouro. Depois de uns minutos a contemplá-la e de muitas fotos tiradas, deverá visitar o telhado do Duomo. Aliás, é uma ótima opção para quem quer apreciar a vista da cidade e também ver de perto os detalhes da fachada, impossíveis de serem vistos da praça. A subida faz-se pelas traseiras. O visitante tem duas opções: ir de elevador (13€) ou de escadas, cerca de 200 degraus, (9€). De seguida aproveite para visitar o interior da catedral. A entrada do Duomo infelizmente não é gratuita. 


Daqui seguiremos o passeio pela Corso Vittorio Emanuelle - a rua que fica ao lado do Duomo - em direção à Galleria Vittorio Emanuelle II. É o centro comercial mais famoso de Milão, com mosaicos gigantescos nas paredes e piso, e o tecto em vidro. Está sempre cheio de turistas e consumidores. A avenida segue até à Praça San Babila, região conhecida como Quadrilátero de Ouro, que resulta num conjunto de quatro ruas, formando um “quadrado”. Aqui poderá encontrar as lojas de luxo mais famosas do planeta: Armani, Gucci, Ralph Lauren, Louis Vuitton, Burberry, Prada, entre outras.


Agora é tempo de um almoço rápido, já que "leve" na terra da pasta é impossível... Seguimos para o famoso Luini, que fica na Via Santa Radegonda, para experimentarmos o recomendadíssimo Panzerotti. É um pastel feito de massa de pizza, frito e com recheios variados. Os mais procurados são os de mozzarella com fiambre e o de mozzarella com tomate, na dúvida devoro os dois. Será seguramente uma das iguarias mais deliciosas que irei provar em Itália, mas já vou psicologicamente mentalizada para as filas!

Posto isto, regressaremos à Galleria Vittorio Emanuelle II mas, desta vez, sairemos pelo lado oposto ao da praça do Duomo. Neste local, irá deparar-se com o famoso Teatro alla Scala, entre e deixe-se apaixonar pela atmosfera do interior do teatro. 


Para manter a chama pariense acessa, sugiro que apanhemos um uber até ao Arco della Pace. Um arco do triunfo que já foi a entrada da cidade na época de Napoleão Bonaparte. Reza a lenda que foi construído de maneira a que ficasse na direção exata da capital francesa.



Daqui seguiremos para um passeio pelo Parque Sempione, que fica em frente. Composto por uma grande área verdejante, agradável para uma caminhada ou mesmo para sentar e descansar. O parque fica nos fundos do Castelo Sforzesco. Construído pela família Sforza, uma das que tiveram o poder em Milão, ela também foi residência de Leonardo da Vinci, por longos 17 anos. Tanto quem vem do parque, quanto quem vem da frente do castelo tem livre acesso ao pátio interno. Dentro do edifício, funciona um famoso museu de arte.



O dia já vai longo... Então, acredito que seja o momento ideal para entrar no espirito boémio da cidade e aproveitar o que Naviglio Grande tem nos oferecer. Nesta zona não faltam opções de bares, restaurantes e casas de jazz para disfrutar da noite italiana. Tudo isto, sempre junto ao canal por isso não guarde a máquina fotográfica.
Para terminar a noite em beleza, que tal voltar à região do Duomo e dislumbrar-se com a cathedral iluminada. Depois continuar a caminhada em direção à Galleria Vittorio Emanuelle II. Agora seguramente mais vazia, perfeito para realizar o ritual tradicional para quem visita o Touro da Sorte: um mosaico no piso, bem no centro da galleria. Diz-se que quem colocar o calcanhar nos testículos do animal e girar sobre ele no sentido dos ponteiros do relógio, terá imensa sorte.



Domingo, 26 de Fevereiro
É tempo de nos despedirmos de Milão. Sugiro fazê-lo durante uma visita à Igreja Santa Maria della GrazieÉ necessário comprar bilhete para visitar: IL Cenacolo. O nome pode não dizer-lhe a nada,, mas e se eu lhe disser que aqui encontrará o famoso famoso painel retratando a Última Ceia, de Leonardo da Vinci? No refeitório da igreja encontrará um dos frescos mais conhecidos do artista. Diz-se que actualmente estão a fazer uma espécie de limpeza no ar do edifício, impedindo que bactérias ou outros germes entrem em contato com o interior do refeitório e provoquem danos à pintura. Como tal, lá dentro, o ambiente é gelado (para ajudar na conservação) e até um pouco sombrio. Mas basta nos depararmos com o painel original para perceber o motivo de ele ser tão famoso, e enorme: possui 9m de largura por 4m de altura, ocupando toda a parede daquele lado.



Calculo que nesta altura os desejos de Panzerotti, do dia anterior, estejam nos píncaros. Logo, recuso-me a deixar a cidade sem um abastecimento simpático destes pasteis. Até as horas da viagem de comboio passarão a voar... Se tudo correr como o previsto, os hidratos irão pôr-me a dormir num instantinho!

Próxima paragem...

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Frutas, pode?

Cara ragazza!!


Actualmente, não restam dúvidas sobre as vantagens resultantes da escolha de uma sobremesa oferecida pela natureza (fruta) e a sobremesa oferecida pela industria... Contudo, mesmo que a tua escolha seja sempre a primeira, há quem defenda que as frutas devem ser totalmente evitadas e outros não. E eu perguntei ao Dr. Souto, porquê? 



Primeiro, porque as frutas da era do paleolítico não são mais as mesmas das de hoje. A humanidade, por milhares de anos, selecionou, através de cruzamentos seletivos e outras técnicas, as frutas com maior quantidade de açúcar e, portanto, mais saborosas. Basta comparar frutas silvestres com as variedades cultivadas, e você verá imediatamente que as frutas silvestres são muito menos doces, menores e mais ácidas. E, não por acaso, muito mais ricas em nutrientes. 

Segundo, as frutas do paleolítico não estavam disponíveis em grandes quantidades e durante o ano inteiro. Às vezes esquecemo-nos, mas não havia pomares nem mercados no paleolítico... As pessoas consumiam algumas frutas silvestres, e não três potes cheios de salada de frutas (modernas e doces). Faziam-no apenas quando encontravam uma árvore frutífera. Sim, porque afinal  não havia frigoríficos no paleolítico, de modo que as pessoas consumiam frutas frescas de forma sazonal, e não todos os dias, o ano inteiro.

Terceiro, as frutas não são todas iguais. Há frutas com grande quantidade de açúcar e pouca fibra e há frutas muito nutritivas e com baixo índice glicêmico.

E por último, as pessoas não são todas iguais. Há pessoas diabéticas, que precisam evitar o açúcar. Há pessoas que precisam perder muito peso ou que tem dificuldade para perder peso, para as quais alimentos que elevam a insulina (é o caso de algumas frutas muito doces) serão contraproducentes. Há outros pacientes que desejam fazer uma dieta paleolítica apenas para melhorar a sua saúde e bem estar, mas que não precisam perder muito peso e para as quais não há necessidade de restringir nenhuma fruta.

Confuso? Vamos tentar simplificar ao máximo, com as seguintes regras gerais:


  1. Se você não precisa perder peso, e apenas quer melhorar sua saúde com a dieta páleo: pode consumir frutas à vontade (juntamente com carnes, ovos e hortaliças).
  2. Se você precisa perder peso ou já tem resistência à insulina (glicose no sangue já se alterando, mas ainda sem diabetes), deverá consumir frutas com moderação, 
Para compreenderes melhor o percentual de carboidratos das frutas, repara nas seguintes imagens:
  • Morangos, Mirtilo (blueberry), framboesas, amoras, pitangas são as frutas que menos contém açúcar;
  • Ameixas, melão, pêssegos e nectarinas, laranjas, bergamotas, maçãs, peras e papaya contém níveis moderados de açúcar. E nesta ordem (ameixas e melão contém menos açúcar);
As outras frutas contém muito açúcar, logo deverão ser consumidas em pequenas porções, ou por pessoas que tolerem uma quantidade maior de carboidratos: bananas, figos, uvas, manga, abacaxi e melancia. Mas lembre-se, é tudo uma questão quantidade. Uma bergamota ou um pedaço de mamão (ao invés de uma metade inteira) terá pouco impacto. Já uma única banana, por exemplo, contém cerca de 24g de açúcar.

Na minha opinião, as frutas vencedoras são os morangos. Saborosos, nutritivos, disponíveis. Para consumir a quantidade de açúcar de uma banana, você precisaria comer 25 morangos! E a carga de nutrientes seria muito maior. Uma sobremesa deliciosa (que embora não seja páleo, é de baixo carboidrato) são frutas vermelhas com natas batidas (adoçada com adoçante, evidentemente; sugiro sucralose). Ameixas e pêssegos são outras boas opções para sobremesas. Estou falando das frutas naturais, e não de conservas ou ameixas secas.

Outra nota importante é que as frutas não são bons lanches. Pelo mesmo motivo que você não deve beber de estômago vazio (o álcool é absorvido mais rapidamente), você não deve comer frutas de estômago vazio (o açúcar no sangue vai subir mais rapidamente, e você vai ficar com FOME 1 ou 2 horas depois, quando o açúcar no sangue baixar). Lanche low carb é feito de proteína e gordura (queijo, presunto, salame, etc.).


Não poderia deixar ainda de mencionar as frutas virtualmente SEM açúcar: abacate e coco. Um abacate inteiro tem o açúcar de 2 ou 3 morangos. Você pode raspar o interior de um abacate, colocar num xícara com um pouco de limão e umas gotas de adoçante (sucralose) e está feita a sobremesa/lanche. O mesmo vale para o coco. Tome cuidado para comprar coco ralado não adoçado! Você pode misturar com leite de coco, adoçar com sucralose, e você terá uma cocada low carb.  

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Alimentos anti-inflamatórios


Cara ragazza!!

Hoje, dou-te a conhecer uma lista de alimentos anti-inflamatórios que são extremamente benéficos para a limpeza interna do nosso corpo. Pertencem a um conjunto heterogéneo de substâncias formadas por vitaminas, minerais, pigmentos naturais e outros compostos vegetais, além das enzimas, que bloqueiam os danos dos radicais livres. Nunca te esqueças que a natureza é sábia e podemos dispor dela para alcançar o alívio de sintomas de todo tipo de doenças ou até a cura total. Os mais importantes:
  • Peixes: Os mais ricos em óleos naturais, como o salmão, atum e sardinhas, são excelentes para reduzir a inflamação, devido à grande quantidade de ômega-3 nesses peixes. Para funcionar, porém, precisa ser preparado de maneiras saudáveis, sem abundância de sal e sem ser frito.
  • Brócolos: Um dos melhores compostos naturais para combater doenças são os sulforafanos, que estão presentes nos brócolos. Eles ajudam no combate à inflamação exagerada do sistema imune. Pra quem não gosta de brócolos, o repolho também tem as mesmas propriedades. A vitamina C contida neles também é um agente anti-inflamatório e ajuda a diminuir a proteína C reativa em até 45%.
  • Tomate: Contém licopeno, que ajuda a combater a inflamação dos pulmões e de outras partes do corpo. Quando ele é cozido ou passa por algum preparo, isso eleva a concentração desse composto, então os molhos também funcionam.
  • Beterraba: Além da betalaína, pigmento que dá a cor roxa, ser um ótimo composto anti-inflamatório, ela contém antioxidantes, vitamina C e fibras.
  • Pepino: Diurético natural e anti-inflamatório que ajuda a eliminar as toxinas, além de ser rico em vitaminas A e C, e sais minerais.
  • Abacate: Possui em sua composição uma substância de ação anti-inflamatória, o beta-sitosterol, que faz com que as células exerçam melhor suas funções.
  • Melão: Importante na alcalinização do pH sanguíneo e anti-inflamatório. Suas sementes podem ser trituradas, garantindo maior fornecimento de fibras.
  • Sumo de Uva natural: Antioxidante e anti-inflamatório.
  • Nozes: Além de ajudarem a combater a inflamação, os antioxidantes das nozes colaboram com a reparação dos tecidos que foram danificados por ela. Junto com os peixes e os vegetais de folhas verdes, elas fazem parte da dieta do mediterrâneo, que é mundialmente conhecida por baixar os níveis inflamatórios do organismo.
  • Gengibre e Cúrcuma: Ambos os temperos têm propriedades anti-inflamatórias. A cúrcuma, aquele tempero que dá ao curry sua cor amarela, mostrou aos cientistas que ajuda a “desligar” uma proteína que regula o sistema imune, a NF-kappa B, e assim, regula a inflamação.
  • Alho: Seu poder de combate à inflamação e doenças já é conhecido há muito tempo. Ele funciona tão bem que a sua ação no organismo é comparável a medicamentos como o ibuprofeno, impedindo que as reações que levam a inflamação aconteçam no corpo.
  • Azeite de oliva: Rico em gorduras monoinsaturadas, que possuem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. O extravirgem possui taxa de acidez inferior a 1%.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Crianças e Grávidas podem ser Low Carb?

Cara ragazza!!


Por vezes, a preguiça de perguntar sem pensar primeiro deixa-me completamente perplexa... Ou será que uma alimentação baseada em:

  • Alimentos naturais, orgânicos e não-processados/industrializados;
  • Carnes, peixes e aves, de preferência criados ao ar livre;
  • Saladas em abundância;
  • Frutas (SEM restrição);
  • Usar azeite de azeitona à vontade;
  • Não comer porcarias, como biscoito recheado, doces, etc. E, por extensão, nada de farináceos;
  • Não usar óleos extraídos de sementes (soja, milho, etc), ricos em ômega 6

    Colocará ALGUÉM em risco? Seja elas crianças, jovens, adultos, grávidas ou idosos?! 

    Será que depois do post de ontem ainda restem dúvidas sobre as vantagens de seguir uma dieta baixa em carboidratos? Pergunto-me se já conseguiram entender que são os próprios carboidratos processados/industrializados que prejudicam o bom funcionamento do nosso organismo? Afinal, são eles os responsáveis pelo aumento das doenças cardiovasculares, aumento de gordura no fígado, diabetes, e por aí adiante... Assim sendo, porque raio um plano alimentar que contraria o aparecimento destas doenças pode ser nocivo para uma criança ou uma grávida?! Palavra-honra que acreditam mesmo que o arroz branco (que é amido puro, sem nenhum valor nutricional) é benéfico para alguém?

    Entenda que Low Carb não é No Carb. Existem vários carboidratos com elevados valores nutricionais, tais como:
    • Frutas (inclusive abacate);
    • Batata doce;
    • Inhame;
    • Quinoa, gergelim;
    • Feijão e lentilha (apesar de não serem Páleo, no processo de crescimento de uma criança e de um bebé na barriga da mãe não tem problema nenhum). 

    Desta forma, voltamos sempre ao início da questão, estando grávida ou não, a base da nossa alimentação deve ser SEMPRE comida de verdade. E, dentro deste contexto, não há como errar. Daí considerar a Low Carb um estilo de vida e não uma dieta. Dado não se tratar apenas de um plano alimentar definido por alguém para nos ajudar a atingir determinados objectivos. Raramente alguém que se inicia na Low Carb (na ingestão de comida de verdade) volta aos industrializados depois dos objectivos concluídos. 

    Posto isto, será que respondi à pergunta inicial ou o ideal será mesmo entupir as crianças com bolos, bolachas, gelados, massas, pizzas e arroz? Tomem nota: crianças não vão ao supermercado nem cozinham sozinhas, logo se as análises delas registarem défices nutricionais a culpa será sempre do adulto responsável por ele.

    Um estudo publicado em Agosto, no “Journal of Child Psychology and Psychiatry” revelou que o excesso da ingestão de açúcar e gordura na alimentação da mãe durante a gravidez pode ter impacto no desenvolvimento do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) nas crianças. A pesquisa mostrou ainda que durante o pré-natal é fundamental dar preferência ao consumo de gorduras como ômega-3, presente em peixes, oleaginosas e frango. Estes alimentos são considerados importantes na formação neural do bebê. É fundamental que as mamães se alimentem com nutrientes ricos em proteínas, ferro, cálcio e também ácido fólico. É importante seguir o apetite e não passar nenhuma vontade, sendo natural que nos três primeiros meses as mulheres sintam menos fome por conta dos enjoos, e um tempo depois venha aquela vontade súbita de comer alguma coisa. Muitas mulheres engravidam já em um nível considerado obeso, e com a gravidez acabam ganhando mais alguns quilinhos, então preciso redobrar atenção nos alimentos que serão ingeridos e é recomendável que a gestante beba água constantemente, de 1,5 a 2 litros por dia. Consuma pelo menos três frutas por dia, além de legumes e verduras no almoço e jantar. Fracione as refeições em seis a oito vezes ao dia, com pequenas quantidades, e mastigue devagar. Lembrando que o acompanhamento de um nutricionista é fundamental, pois cada pessoa tem um estado clínico diferente! No entanto, há algumas recomendações gerais: Muitos alimentos podem trazer incômodos para as mães e para os bebês, como gases, enjoos e azia. No primeiro trimestre, a ingestão de líquidos, ferro e ácido fólico é muito importante. Além destes, procure consumir alimentos que contenham: vitaminas A, B1, B3, B6, C e D, carboidratos, proteínas, cálcio, magnésio, lipídeos, niacina. - Dr. Barakat

    segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

    O que é a Low Carb High Fat?



    Cara ragazza!!

    Depois de quase dois meses intensivos a falar de LCHF no blog, gostaria de convidar todos os confusos, tentados e adeptos da dieta Low Carb a reciclarem os vossos conhecimentos sobre este tipo de estratégia alimentar, que não é única nem melhor que as outras. Acredito que muitos de vocês já fazem muitas escolhas baseadas no conceito Low Carb/Paleo, ainda assim, continuam a introduzir alguns alimentos que rompem totalmente com os padrões que estão na base destas duas dietas. E se assim é, sou obrigada a discordar totalmente de quem se "auto-intítula" Paleo ou Low Carb, porque à excepção dos dias da asneira, a ingestão de Carboidratos, como massa, arroz e farinhas de trigo (mesmo que integrais e sem glúten), estão totalmente fora destas duas estratégias alimentares.


    Posto isto, acho importante que retenha, desde já, que a Low Carb High Fat baseia a sua dieta em três princípios basilares:
    1. Alimentos SEM embalagem;
    2. Alimentos SEM rótulos;
    3. Alimentos SEM validade;
    Ou seja, "alimentos" e não "produtos alimentares", porque por produtos entenda-se tudo o que é industrializado:
    1. Produto embalado;
    2. Produto rotulado;
    3. Produto datado;
    Esta pequena tomada de consciência ajuda-nos a perceber que a partir do momento em que adoptamos uma dieta LCHF a dispensa da cozinha vai passar a estar praticamente vazia... Afinal, a curto prazo, os enlatados, os frascos, as embalagens de massa e arroz e os pacotes de bolachas - carboidratos - irão desaparecer ou apodrecer nas prateleiras. Consequentemente, as idas ao supermercado tornar-se-ão mais frequentes e as compras irão apenas sobreviver, por um ou dois dias, no frigorífico... 

    Depois de assimilado os três princípios da Low Carb, importa prestar atenção à segunda parte do conceito "High Fat" (muita gordura). Uma vez que será ela a  principal responsável pelo estado de saciedade ao longo do dia. Para quem acredita que são os hidratos (massa, arroz e farinhas de trigo) que te mantêm saciados, pergunto-vos por quanto tempo conseguem ficar SEM comer entre uma refeição e outra, ingerido estes industrializados a todas as refeições? Pois bem, a vossa resposta não deve ir além das três horas, verdade? Então e se eu vos disser que poderão aumentar a vossa saúde e saciedade se reduzirem drasticamente as bombas de açúcar que ingerem diariamente? Entenda que hidratos industrializados é sinónimo de açúcar no sangue - glicémia. 

    «Com esta dieta enquanto emagrece, está a proteger a sua saúde, ao controlar os níveis de glicémia e ao melhorar a conservação da massa muscular e o perfil lipídico (maior redução dos níveis de colesterol e triglicéridos, com aumento dos níveis do bom colesterol)», explica o nutricionista Custódio César.
    O excesso de produção de insulina irá conduzir a uma acumulação excessiva de gordura, à diabetes e ao aumento do risco de doença cardiovascular. O segredo desta dieta está precisamente no consumo dos alimentos de baixo índice glicémico, como legumes (cenoura, tomate, courgette) e hortaliças (brócolos, couve-flor, espinafres) que não produzem picos de insulina e são lentamente absorvidos pelo organismo, retardando assim a sensação de fome.»

    Desta forma, ficou perceptível que, desde sempre, o culpado pela composição de gordura no nosso organismo advém do excesso consumo de açúcar (adicionado nos produtos industrializados) e não da ingestão de gorduras naturais resultantes dos animais, legumes, frutas e vegetais. Por outras palavras, a partir deste momento estás oficialmente livre dos insípidos bifes de frango e peru, afinal as outras carnes dar-te-ão a fonte de gordura necessária para te sentires alimentado e saciado por longos períodos de tempo. A par destas carnes, importa referir que o azeite, o abacate e as oleaginosas passarão a ser também os teus melhores amigos. 

    Actualmente, um médico que pede ao paciente para consumir produtos "light" e evitar gorduras naturais é um médico desatualizado, retrogrado e que deixou de estudar há vários anos! Foge a sete pés do médico que prescreve medicamentos a um diabético. A normalização de insulina no sangue pode ser controlada apenas pelo que ingerimos. Afinal a "Diabetes" não está alojado no nosso organismo como se de um bicho se tratasse, tal como o cancro. Diabetes resulta apenas da insuficiência do pâncreas em produzir a insulina necessária para neutralizar os açúcares no sangue. Logo, se não ingerires açúcar em excesso o teu pâncreas não irá necessitar da ajuda dos medicamentos para controlar esses valores. Capisce? 

    Assim sendo, não é de estranhar que muitos olhem para a LCHF como um milagre do emagrecimento. Todavia, a nutricionista Lara Nesteruk desmistifica o mito e explica que «NÃO HÁ SEGREDO, a questão é muito simples: Devido a saciedade que o alto consumo de gordura ocasiona, a pessoa come menos, e COMENDO MENOS, acaba fazendo naturalmente um déficit calórico! A única diferença é que na #LCHF isso ocorre de forma natural e sem que seja necessário fazer restrições. Entenda: isso pode SIM dar errado se a pessoa não entender que JAMAIS deve comer sem fome e MUITO MENOS além da saciedade!»

    Ela vai mais longe para que entendamos que: é um erro crasso confundir "números menores na balança" com "emagrecimento"! O fato de você pesar 3kg ou 4kg a menos nas primeiras semanas de uma nova dieta (seja ela qual for) não significa nem de longe que você emagreceu isso, partindo do princípio que EMAGRECER significa DIMINUIR A QUANTIDADE DE GORDURA CORPORAL, e não seu peso! Normalmente os primeiros quilos a menos são reflexo do esvaziamento dos stocks de glicogênio e água! No primeiro dia que você fizer uma ingestão alta de carbos, ELES VÃO VOLTAR! Então não é no peso que se baseia o sucesso desta (e de nenhuma outra) #dieta, mas sim na COMPOSIÇÃO CORPORAL .

    Moral da história, quer para emagrecer ou melhorar a saúde a Low Carb High Fat é UMA óptima estratégia para atingir esses objectivos.

    1. Diversos estudos já demonstraram a maior eficácia deste tipo de dieta sobre as tradicionais, que se baseiam na redução de gordura e calorias. Este estudo, por exemplo, dividiu 132 indivíduos obesos, onde vários participantes tinham síndrome metabólica ou diabetes tipo II, pela low carb e pela dieta com baixo teor de gordura. Após 6 meses de observação, concluiu-se que o grupo da low carb perdeu uma média de 5,8kg, enquanto o grupo com baixa gordura apenas perdeu 1,9kg, com diferenças estatisticamente signficativas. Tudo isto sem falar que os low carb reduziram de triglicerídeos, sensibilidade à insulina, níveis de insulina circulante e glicemia de jejum, todos parâmetros positivos. 
    2. As dietas de baixo teor de carboidrato também têm um perfil de segurança excelente. Na verdade, as pesquisas mostram que esse tipo de cardápio causa grandes melhorias em diversos fatores de risco. Entre eles, os triglicerídeos que diminuem e o bom colesterol que aumenta. A pressão arterial e os níveis de açúcar no sangue também tendem a reduzir significativamente. Uma elevada porcentagem da gordura perdida em uma dieta baixa em carboidratos vem da área da barriga e do fígado. Além disso, quem sofre de síndrome metabólica e/ou diabetes tipo 2 se beneficia ainda mais com esta dieta.
    3. Uma das razões da eficiência da LCHF está no facto de que ao restringir o consumo de carboidratos os níveis de insulina são reduzidos. A insulina é um hormônio muito importante no corpo, que regula os níveis de açúcar no sangue e trabalha no armazenamento de energia (gordura). Assim, a insulina estimula a lipogênese (produção de gordura) e inibe a lipólise (queima de gordura). Logo, um corpo onde a insulina se mantém baixa é um corpo favorável à queima de gorduras.
    4. É importante considerar que ao optar por um cardápio com menos carboidratos (grãos e açúcares), não significa carregar no consumo de proteínas. O ideal na LCHF é manter as porções de proteínas e aumentar a ingestão de legumes e verduras. Apesar dos estudos mostrarem, e bem, que a proteína reduz o apetite, aumenta o metabolismo e ajuda no crescimento da massa muscular, estimulando assim a queima de calorias o tempo todo. A dieta low carb conta ainda com efeitos sobre o apetite, já que é possível comer os demais alimentos à vontade, desde que sejam escolhas inteligentes. A chave para o controle do apetite está novamente na insulina. Em um ambiente altamente insulinêmico, como o que acontece quando você come muito carboidrato, acontece o seguinte: 1) A insulina em picos promove a entrada de glicose nas células, o que significa que a glicemia vai baixar. Seu corpo entende isso como recado para comer mais, leia-se fome. 2) A insulina em excesso tem acção inibitória sobre a leptina, hormônio que dirá ao seu cérebro que você já comeu o suficiente. É por isso que você consegue comer um sorvete, depois um biscoito, e depois sei lá mais o quê. 
    5. Sem falar que uma alimentação rica em carboidratos acaba contendo menos gorduras boas e proteínas, que têm maior poder de saciedade. Quando você reverte essa relação, focando mais em gorduras e proteínas e menos em carboidratos, a insulina deixa de sabotar seus mecanismos de saciedade, você naturalmente passa a comer coisas que matam a sua fome (por horas a fio), e além disso, entra em cetose, onde passa a queimar gordura o tempo todo. Você automaticamente passa a comer menos, porque recupera o controle da sua vontade de comer!
    Saiba mais sobre este estilo de vida aqui!

    sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

    Quantidades de Carboidratos nos Alimentos







    Acho que vou imprimir estas imagens e colocar na carteira!
    Cara ragazza!!

    Viver e escrever sobre a Low Carb envolve curiosidade e pesquisa diária. Felizmente, há mais informação na internet do que possamos imaginar. A forma que encontrei para compilar tudo o que vou descobrindo sobre o tema é dedicando-lhe um post no blog. Desta vez, enquanto navega na net descobri este site que através de imagens exemplificava a quantidade de carboidratos que cada alimento continha.