terça-feira, 7 de outubro de 2014

Ladybug (almost alone) in NYC

Cari ragazzi!!

No último post levantei um bocadinho o véu sobre os motivos que me demoveram de ser AuPair, sem abandonar o sonho de viver um ano longe de Portugal. A guerra contra o tempo, ou neste caso em particular, contra os trintas, foi a principal razão de toda esta reviravolta! Afinal de contas, desde o fim da faculdade que a minha checklist continua praticamente intacta:
E o tempo não parou... mas desta vez quero agarrá-lo e correr com ele. Tenho a certeza que no primeiro de Janeiro de 2016 vou riscar alguns destes pontos quando baterem as doze badaladas! Mas voltando às razões que me fizeram voltar ao ponto de partida e começar tudo do zero, novamente:
  1. Destino: New York City - Manhattan;
  2. Currículo: Curso diário e intensivo de inglês;
  3. Cultura: Aprender e celebrar todas as tradições americanas;
  4. Financeiro: Ser capaz de sobreviver apenas com o recurso do meu trabalho;
  5. Pessoal: Testar os meus próprios limites, força e relativizar os demais. Ou seja, crescer num ano aquilo que nunca crescerei aqui em dez.

No fundo, pretendo regressar consciente que afinal NUNCA estive parada desde o verão de 2011, e que todos estes contratempos foram apenas um meio para atingir um fim. Há quem não entenda o porquê de eu querer partir agora, "agora que tenho a vidinha toda organizada em Lisboa, com namorado, "trabalho" e filhos". Mas a verdade é que é agora ou nunca. O tempo está a passar, as prioridade mudam cada vez mais rápido e eu já não caminho para nova. Então decidi que me daria esta última oportunidade de viver pelo menos um ano no estrangeiro, antes do pedido, da casa maior, das filhas do nosso sangue e da rotina feliz para o resto da vida. Na medida em que, só se cria uma rotina feliz e plena quando conseguimos aniquilar todos os 'ses' da nossa vida. 
Pergunto-me como é que alguém consegue:
  • Partilhar a vida com outro quando ainda não fez tudo o que quer sozinho;
  • Conceber sonhos a uma nova vida quando ainda não realizou os seus;
  • Encontrar um último código-postal quando ainda não conheceu o mundo.

Para mim, o princípio básico de pessoas, casais ou pais frustrados está na precipitação com que um dia decidiram o caminho a seguir. É importante ter consciência que passos gigantes como estes, devem ser dados sem qualquer tipo de 'ses' ou 'nos cruzamentos da vida'. Quando a vida nos apresenta um mundo de opções a seguir é porque ainda não estamos preparados para seguir um único caminho definitivo, porque o mais provável é arrependermo-nos ou culpabilizarmos o(s) outro(s) por uma determinada decisão NOSSA. Aprendermos e mentalizarmo-nos que somos os principais responsáveis pela nossa felicidade, e não o marido, os filhos e/ou o trabalho, ajudará a não vivermos frustados e privados dos nossos sonhos para o resto da vida. Pensamentos como: 'se eu tivesse...' nunca farão parte do nosso vocabulário, porque seremos pessoas realizadas e puras para amar e receber o próximo. Resumidamente, já basta a imprevisibilidade e injustiças da vida... Afinal nunca seremos capaz de decidir se alguém que amamos padecerá de uma doença ou não, se viverá 'para sempre' ou não, se conseguirá andar, ver, ouvir e falar ou não. Todavia, haverá sempre coisas que poderemos decidir, construir e  crescer sozinhos. Sejam felizes.


9 comentários:

  1. Joana, adorei o Post! Fazes muito bem em seguir os teus sonhos, são só teus,os tesouros que te levam a crescer. Nunca é tarde, eu que faço 29 este mês, estou a seguir um que é terminar a Licenciatura em Comunicação Social, não sei se me abrirá portas nesta altura, mas não desisto! Quem gosta de ti, apoia-te e espera :) beijinho e Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida!! Vamos ser colegas de profissão!!! Hehhe tas a estudar onde? Um beijinho enorme e bom reentre!

      Eliminar
    2. :) No Instituto Politécnico de Setúbal, sei que nesta área (e todas) está em crise, mas temos que ter esperança! bjs

      Eliminar
    3. Este país está mesmo uma miséria! Tão triste! Tanta vontade de trabalhar para tão poucas oportunidades de emprego!

      Eliminar
    4. É mesmo! eu ainda não me encontro na área e fiquei desempregada..portanto não sei o que o futuro me espera! Mas pensamento positivo :*

      Eliminar
  2. Be Positive & Active! São os meus lemas

    ResponderEliminar
  3. Só agora tive a oportunidade de ler este teu post e, eu concordo com muito do que tu dizes. O meu maior medo é esse mesmo: não aproveitar enquanto posso. Eu namoro mas ainda não vivo com ele e, tenho esse receio de deixar de fazer certas coisas por causa dele. Mas também, se isso acontecer é porque não está destinado estarmos juntos e então cada um terá de ir para o seu lado. Esperemos que não mas olha, nunca se sabe.

    Admiro muito a tua coragem! Eu própria me mandei de cabeça para Londres e vivi lá uns tempos mas nessa altura não tinha ninguém e nada que me prendesse onde estou aqui. Por exemplo, não tinha aparelho e não tinha uma operação prestes a chegar. Não me arrependo e espero, daqui por um ano ou um ano e meio conseguir viajar mais. Espero conseguir concretizar mais sonhos, mais objectivos.

    Espero que tu também consigas. Quem sabes o teu namorado não vai ter contigo a NY e por lá ficam! Felicidades ***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente tenho um namorado que a apoia a 200%! Ele vai comigo e ficará comigo durante uns dias e depois voltará certamente para me visitar, afinal ele também é louco por aquela cidade! ;) logo sempre que me for visitar é juntar o útil ao agradável! E eu só quero ir um ano! Por isso vai passar a correr e em menos de nada estou de volta ao meu querido país!

      Eliminar
  4. Que giro, estava agora a procurar coisas sobre NYC e descubro isto! Engraçado como
    Sinto tudo
    Que descreves! Acabei
    De fazer 30. Sempre quis viver pelo menos 1 ano fora. Fazer voluntariado... Percorrer o mundo
    De mochilao as costas, td isto antes de parar, casar e ter filhos!
    Arrependo me dê muita coisa que N fiz. Desde que me conheço que queria viver em
    NY! E quando fui em 2009
    O
    Que senti foi indiscritível. Jurei voltar para viver no prazo dum ano. Mas depois tudo foi mudando
    E até pensei
    Que era uma ideia parva! Hoje, pela profissão
    Complicada que escolhi,sei
    Que era bom
    Ir ao rio uns meses estudar. Não
    Vou ser atriz em
    Hollywood nunca. Tou velha para muita coisa mas sinto
    Que tem
    De ser agora. E eu quero ir para NY! Há muitas dúvidas que vivem cmg há anos. Muitos impedimentos e muitos deles macacos na cabeça! Mas tem
    De ser. Já adiei tempo demais. Sonhei tanto cm
    O natal
    Aí, passagem de ano. ainda hoje fiquei
    A ver casas e credo fico logo a achar ser impossível. Quero estudar inglês. Pensei fazer um
    Workshop
    De acting mas são muito caros...

    Enfim revi-me muito neste post :)

    Beijinho e aproveita!!!! Que bom!

    WWW.THE-DEVIL-WEARS-WORDS.BLOGSPOT.PT

    ResponderEliminar